12 de nov de 2012

Ônibus #


Nossos olhares se encontraram e antes que eu pudesse notar, me ofereci para pegar sua bolsa. Seu corpo moreno, colar rústico, camiseta branca, calça jeans e sandália de couro, perfeito. O seu cheiro estava ótimo e seu cabelo denunciava que tinha saído a pouco de um banho. Queria ser qualquer uma daquelas gotas que deslisavam no seu rosto. Educadamente você permitiu que eu segurasse sua pesada bolsa e pareciam livros... ah, o erro do toque. Meu sentido mais aguçado era o olhar. Você retornava com olhares meigos e por vezes sensuais. A cada virada de curva, minhas pernas ficavam bambas pelo sacolejo e pelos seus olhares. Sua boa me chamou uma enorme atenção, o pelo dos teus braços e peitoral, suas mãos fortes, seu cheiro... ah, seu cheiro... Enfim, no ponto seguinte você pediu parada, agradeceu e desceu. Ah, ônibus, por que paras?