31 de jul de 2009

Taças De Vinho


Depois de algumas taças de vinho ela começou a intensificar o olhar sedutor e conseguiu me deixar sedento por ela. Conversávamos em seu sofá e cada um de seus olhares destilava um veneno pelo qual eu poderia morrer... Ela sabia que estava controlando meus instintos. Toda mulher sabe quando o homem está em suas mãos. Elas são cruéis, nos fazem esperar tanto pelo bote... Eu estava desesperado, até que ela deu sinal verde a meus instintos. Tomou a taça de minhas mãos e as conteve na mesinha que estava em nossa frente e eu nem havia percebido. Chegou mais perto.. e roçou sua perna na minha. Minha calça bem que poderia não estar ali. Para eu sentir aquela seda. Mas não demoraria muito para eu tocá-la, avidamente. Não me demorei e tomei-lhe um beijo, impus-lhe a mão na nuca e adorei desalinhar-lhe os cabelos. Agarrei-a mais seguramente e ela mordiscou meus lábios. Sorriu. Se entregou... olhou para o fim de um corredor e levantou me puxando pela camisa. O que ela queria?! Seria tolo para perguntar... eu estava num jogo que perderia sem problema algum. Entramos no terreno dela. No lugar onde ela sonhava. No lugar onde ela me devoraria, e eu a ela. Fechou a porta e fez charminho. Estava me deixando maluco. Sem noção. Sem chão. Eu a ataquei. Ela sussurrava-me coisas ao ouvido, eu respondia, mordia, maltratava. Ela judiou de meu corpo como nunca tinha visto antes. Mestre em tudo o que fazia. Não precisava de ordens. Mas eu a apertava. Coordenava algum de seus passos... Ela se atirava contra meu corpo e nos debatíamos numa guerra intensa de provocações, até que as preliminares acabaram e a semi-final começou de forma intensa e ardente. Ela era maravilhosa... luxuriosa, acrobata. Elástica, eu diria. Deve ter morado na Índia. Foi a melhor mulher instruída. O néctar do corpo dela aquecia meu desejo de lhe banhar de prazer. Nunca tive noite mais intensa... Deitamos para descansar quando o sol já raiava. Suor. Volúpia. Cheiro de corpo no ar. Amanhã cedo... a quero de novo.

29 de jul de 2009

Por Outro Lado



Ele se foi e ela não poderia fazer mais nada. Sim, ele ligou para ela e marcou um encontro no qual ele disse 'adeus', sem mais nem menos. Ela não entendeu muita coisa, mas fato que aquele relacionamento já estava muito esgotado, precisando de um 'golpe de misericórdia'... Mas, ela não querida dar esse golpe, por costume. Tem momentos na vida que nos apegamos tanto a um calçado que esquecemos que 'podemos', 'devemos' e 'merecemos' trocá-lo, principalmente, quando ele nos incomoda os pés, por mais bonitinho que seja, ou simplesmente, por mais acostumado que estivermos. Ela chegou em casa desolada, a mãe tentou consolá-la, pois sabia que isso a deixaria mal, péssima, arrancando os cabelos. Mas, para a surpresa da mãe, ela cresceu. Dessa vez resolveu sentir a dor e aprender a estudar-se na dor. 'Está doendo, mas, por quê? O que vou e quero aprender com isso?' - ficava se repetindo diante do espelho. O cabelo estava longo demais... 'amanhã vou cortá-lo e pintá-lo de vermelho' - riu-se dentro de si. Percebeu-se. Por causa desse amor, agora acabado, esquecera de si mesma... e do resto do mundo... Tinha se acostumado a cuidar dele, a ligar toda hora, a saber de tudo dele. E ela? Onde estava esse tempo todo? Sofreu naquele dia, se permitiu chorar, se permitiu sofrer, mas tomou um banho frio em seguida. Deitou de uma outra forma na cama. Ligou o rádio e a música a fazia sorrir... 'Ninguém pra ligar e dizer onde estou/ Ninguém pra ir comigo onde eu vou/[...]/ Ninguém pra eu fingir que eu não amo...' ¹Sorriu e cantarolou. Mudou a forma de dormir. Ao acordar, queria levantar-se pelo 'outro lado'. Era ela quem estava alí. Era ela quem acordava de novo, depois de tanto tempo dormindo... Sofreu, não negava. Mas, amanhã, ela iria sim, acordar pelo outro lado, cortar e pintar os cabelos.


¹ Canção: Pra ninguém/ Por enquanto (Nila Branco)
Quem quiser conferir o clipe clique aqui.

22 de jul de 2009

Entre Quatro Paredes

Ele saiu do banho e ela estava na cama.
Ele deitou. Ela tinha tomado banho alguns minutos antes.
Antes dele deitar, ela tirou os lençóis,
que escondiam seu corpo nu.
Ele sorriu. Ela sorriu. Eles se amam.
Ele caiu na cama. Ela fez charme.
E o resto, está entre quatro paredes.

18 de jul de 2009

Brigas (versão dela)


Ele sabe o jeito certinho de me deixar de cabelo em pé. Aquele.. ah, nem falo. Não vale a pena eu me descabelar por causa daquele... ah, esquece! Ontem a noite brigamos e já viu tudo. Ele dormiu no sofá. Não gosto nem de ver a cara dele. Só por causa de uma bendita mudança na cozinha que quero fazer... e, claro, segundo ele, porque de minha parte não, um amigo meu que me ligou. Mas era só um amigo meu... não tem lógica. Ciúme besta. De quem ele tem que ter ciúme ele não tem. Morro aos risos... Aquele bobo. Mas dormir sozinha é ruim demais. Sinto falta do calor dele... por mais que seja apenas de um abraço gostoso com aquele respirar no meu pé de ouvido. Aquelas mãos buliçosas que ficam me tentando... Amo demais isso. As pernas entrelaçadas... o beijinho de boa noite que termina em muitos outro beijinhos... A briga só serve para perceber que o quero muito e quero e quero e quero... Mas, será que ele também sente isso por mim?!

Brigas (versão dele)

Minhas costas estão doloridas, só por causa daquela... ah, esquece. O amiguinho dela liga e ela ainda quer que eu sirva suco pro marmanjo... Me poupe. E ela acha que é só a questão da cozinha. Não tem muita relação. Só estou com preguiça, acabo de chegar do trabalho cansado e ela acha de me dá mais trabalho? Eu não sou de ferro. Ela acha o que? Seria tão bom que quando eu chegasse ela me desse massagens e fizesse carinho... Mas sei que ela também está cansada. Mas às vezes não faz mal algum... Da próxima vez compro um sofá mais confortável. Agora, meu amigo, vou te contar... até o sofá tem o cheiro dela. Incrível. A casa cheira a ela. Fiquei pensando nisso a noite toda. Não dormi direito. Amo o cheiro dos cabelos dela... Do corpo dela. Quando ela toma banho e vem toda cheirosinha para cama... Como resistir? Ela ainda faz charme... diz que eu desalinho os cabelos dela, tenho certeza que ela adora! Preciso comprar flores e admitir que ela sempre tem razão. Como sempre. Seja lá o que for... sou apaixonado por ela, e decidir amar ela durante a minha vida inteira. Mas... será que ela pensa isso de mim?!

15 de jul de 2009

Toca-Me...


Toca-me como se o amanhã não chegasse...
e como se eu fosse ter meu último suspiro agora.

Toca-me como se não houvesse mais um eu,
depois que a rubra noite se fizer dia.

Toca-me e arranca de mim o eu lascivo,
escondido nas ruas e caminhos do meu ser.

Toca-me e deixe teu rastro,
como o sol que se impõe,
depois de desvirginar o dia na madrugada.

Toca-me, toca-me, toca-me.
Pois amanhã posso não deleitar-me mais perto de ti.

Toca-me e sustenta-me em teus braços,
como se ontem não o tivesse feito,
como se quisesse matar as saudades.

Toca-me e me faça luz, sol e calor.
Calor que reveste a camada da pele,
a qual produz suor..

Toca-me como se não me tivesse amanhã,
como se minhas horas nos escapasse das mãos.

Toca-me com instinto,
sinta meu cheiro e não se limite ao agir.

Toca-me, toca-me, toca-me,
como se amanhã eu não tivesse mais você,
nem você a mim...


7 de jul de 2009

Temo por mim, por ti, por nós..




Acordastes de um sonho lindo.
Mas descobristes que era apenas sonho,
Olhei em teus olhos.
Mas não te achei.
Por mais que eu os procurasse.
Não era os meus que eles buscavam.
Como são assim tuas mãos.
Que não mais me buscam.
E não buscam já faz algum tempo.
Mas eu continuo aqui.
Procurando pertencer-te.
Mas temo que não vês e não verás.
Temo por ti, por mim, por nós.
Talvez busques a mim.
Mas não olha-me, então como vês?
Temo por mim.
Talvez um dia me perceba.
Mas eu, talvez não esteja mais aqui...


4 de jul de 2009

Primeiro Beijo (versões)



Versão dela...

Estávamos a um tempo querendo um dia só para nós dois. Vínhamos conversando faz um tempo.. mas entre amigos.. saidinhas, nada demais. Mas ele era tímido. Pelo menos na vista, sabe? Ficava quietinho e falava comigo tão carinhosamente que resolvi dá o primeiro passo. Liguei pra ele numa bela tarde e marcamos um encontro. Ele era um fofo. Suava frio, falava baixo. Um lord, enfim. Conversamos bastante e eu resolvi não sair dali sem aquele beijo. Também estava nervosa. O romance surge quando não conseguimos mais passar muitos minutos sem pensar no outro e eu já estava assim. Segurei as mãos dele com todas as partes do corpo tremendo e em pânico.. olhei nos olhos dele e, enfim, o beijei. E ele correspondeu... e..


Versão dele...


Ela é a coisa mais linda que já vi. Sabe aquela mulher menina que quando você encontra você sente algo diferente? Sente que ela será o que ela quiser e que ela pode ser o que ela quiser dentro da sua vida... Eu queria qualquer tipo de relação com ela.. seja de amizade ou de servidão. Existem mulheres que existem para te deixar de uma forma que você não consegue nem definir. Como eu agora. Saíamos com os amigos.. mas sempre desejei tê-la ao menos um instante perto de mim, somente eu e ela. Ela me ligou. Saímos. Ela pegou minhas mãos e... me levou ao paraíso. Senti de tudo.. dores em tudo.. falta de ar.. e tantas outras coisas.. mas, só posso dizer que o nosso primeiro beijo foi inesquecível...Aquele sorriso, aquela boca...