29 de jul de 2009

Por Outro Lado



Ele se foi e ela não poderia fazer mais nada. Sim, ele ligou para ela e marcou um encontro no qual ele disse 'adeus', sem mais nem menos. Ela não entendeu muita coisa, mas fato que aquele relacionamento já estava muito esgotado, precisando de um 'golpe de misericórdia'... Mas, ela não querida dar esse golpe, por costume. Tem momentos na vida que nos apegamos tanto a um calçado que esquecemos que 'podemos', 'devemos' e 'merecemos' trocá-lo, principalmente, quando ele nos incomoda os pés, por mais bonitinho que seja, ou simplesmente, por mais acostumado que estivermos. Ela chegou em casa desolada, a mãe tentou consolá-la, pois sabia que isso a deixaria mal, péssima, arrancando os cabelos. Mas, para a surpresa da mãe, ela cresceu. Dessa vez resolveu sentir a dor e aprender a estudar-se na dor. 'Está doendo, mas, por quê? O que vou e quero aprender com isso?' - ficava se repetindo diante do espelho. O cabelo estava longo demais... 'amanhã vou cortá-lo e pintá-lo de vermelho' - riu-se dentro de si. Percebeu-se. Por causa desse amor, agora acabado, esquecera de si mesma... e do resto do mundo... Tinha se acostumado a cuidar dele, a ligar toda hora, a saber de tudo dele. E ela? Onde estava esse tempo todo? Sofreu naquele dia, se permitiu chorar, se permitiu sofrer, mas tomou um banho frio em seguida. Deitou de uma outra forma na cama. Ligou o rádio e a música a fazia sorrir... 'Ninguém pra ligar e dizer onde estou/ Ninguém pra ir comigo onde eu vou/[...]/ Ninguém pra eu fingir que eu não amo...' ¹Sorriu e cantarolou. Mudou a forma de dormir. Ao acordar, queria levantar-se pelo 'outro lado'. Era ela quem estava alí. Era ela quem acordava de novo, depois de tanto tempo dormindo... Sofreu, não negava. Mas, amanhã, ela iria sim, acordar pelo outro lado, cortar e pintar os cabelos.


¹ Canção: Pra ninguém/ Por enquanto (Nila Branco)
Quem quiser conferir o clipe clique aqui.

41 reações:

Macaires disse...

Olá, me chamo Marília.
Esse texto me fez refletir sobre como ficamos acomodados depois de um longo tempo de relacionamento, me fez enxergar que também já passei por isso,(quem não passou, não é?),e como é difícil ver as coisas por esse ângulo. O segredo está em saber ponderar, mas o fato é que numa situação dessas nós nos acostumamos de tal forma a abrir mão de tudo que nem percebemos o quanto nos anulamos e passamos a viver a vida do outro. Infelizmente o amor também sua parte chata.

Encontrei seu blog por acaso e adorei o espaço aconchegante que você criou e o bom gosto dos seu textos, pretendo voltar mais vezes!
Abraço

Shadow disse...

Gostava de ser como a personagem deste conto...

Alvaro Oliveira disse...

Olá Poetissima

com saudades das minhas palavras?
como me faz sentir feliz por saber de amigos que gostam da minha presença. fico muito grato amiga.
Sabe que adorei o que acabei de ler? é muoto doloroso o fim de um
de um relacionamento. e lhe fala a voz da experiência. por muito esforço que se faça, é sempre dificil esquecer. É um mal que só o tempo cura...mas um tempo longo!
Será que ela vai ultrapassar apenas
com as mudanças pensa fazer? Espero
que a acompanhe e depos me diga alguma coisa.
Sabe que você tão boa a escrever poesia, como a fazer narrativa?
a minha amiguinha tem jeito para as duas coisas. Eu talvez tenha um pouquinho de jeito só para a poesia.E mesmo na poesia tenho as minhas dúvidas. Não assim tão poeta de mão cheia.

Beijinhos queridos para si

Alvaro

Thiago Maia disse...

Parenta, boa noite pra ti! Pois bem, estou ótimo, com saúde, paz e felicidade. Graças a Deus!!!

Os rsbiiiscos estão rendendo, rsrs, pela que ficam longe daqui. Mas nada é impossível, não é?

Beijos e queijos. E se cuida. E tome conta desse cantinho excepcional!!!

GIVANILDO disse...

AMAR UM SAPATO SIM, ACREDITAR QUE ELE PODE SER O ÚNICO E ETERNO...
QUEM AMA SEMPRE SOFRE COM A PERDA.
AMAR OU NÃO AMAR, EIS A QUESTÃO!
SE DER, AMAR COM CAUTELA.

Lany disse...

Amei... e passei por aqui tb..só que levei um pedacinho daqui e postei lá na varanda com link pra cá... passa depois pra ver...
Bjkas

Cristal De Uma Mulher disse...

Estive aqui e desfrutei tuas maravilhas..beisos amiga

Dona Poesia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dona Poesia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dona Poesia disse...

Interessante esse "passo" dado pelo personagem principal do texto.
As grandes mudanças começam por pequenos gestos. Até mesmo mudar a posição de dormir pode criar um compromisso de se mudar nas demais coisas que necessitam ser mudadas.
Você conhece a filosofia Feng Shui? ela diz que a simples posição de um móvel na casa já traz grandes transformações no morador, eu acredito muito nisso, pois quando quero mudar algo eu troco ao menos o tecido das capas das almofadas, e sempre traz resultados.
É isso aí. Quem fica parado é poste, né?
beijão

Olavo disse...

Vc contou de uma maneira extremamente verdadeira o que sobra ao final de uma relação..a intenção do mudar do nos achar aonde nos perdemos assumindo a vida de outro..pq em geral quando amamos demais..vivemos sim a vida do outro em função do outro..
gostei muito..Parabens pelo seu blog é lindo
Beijão

Olavo disse...

Não achei aonde te seguir..então vou linkar vc ok

mitro disse...

No cortar de laços, cabe um vazio!

KOTTA disse...

Olá, é verdade que quando amamos anulamo-nos porque vivemos em função do outro.Criam-se hábitos só para agradar o outro.Bjo.

A.S. disse...

Poetissima,
Um texto muito bem elaborado que nos deixa motivos para uma reflexão.
Porém, há dois detalhes, que parecendo pouco importantes, podem abalar toda uma relação.
São eles a CUMPLICIDADE e a ROTINA...

As rotinas, retiram o prazer da descoberta e a falta de cumplicidade, retira sempre uma parte da intimidade.

Devemos amar sem criar rotinas.
devemos amar, sendo cúmplices!

Meus beijos...

Mélker Rúbio disse...

preciso fazer algo parecido...

mudar algumas coisas e recomeçar...

muito obrigado pelo texto, me fez bem...

bjim

meus instantes e momentos disse...

gosto de voltar aqui.
Muito bom teu blog.
ótimo conto
Maurizio

Jorge Leberg disse...

Valeu pelo coment lá no meu blog. Ora, qualquer coisa, é só ler o pretenso, hehe, debate no link.

E apesar de poemas sobre amor não serem a minha maior preferência, você mostra que tem muita sensibilidade em abordar os conflitos do coração, rsrs. Abração!

Fran disse...

Primeiramente: Obrigada pela visita e também estou seguindo aqui =D
Muito bom o texto.
Às vezes simplismente nos acostumamos com uma presença, uma voz, um cheiro...
Já passei por isso, quando acaba sofremos mesmo não amando tanto aquela pessoa, é que estávamos acostumados com ela.

Beeijo!

Jorge Leberg disse...

Olha, pra ser sincero melodrama e pieguice são coisas das quais fujo, apesar de eu também ter meus dias de melodramático, dramaking. Mas talvez essas minhas atitudes sejam mais condizentes com a tragicomédia e o exagero do que com o melodrama propriamente dito, rsrs - sabe aquelas vezes em que a gente acha nossa vida a pior e mais inútil de todas?

Bem, gosto de romance, mas não nessa área. Gosto de romances intensos, viscerais, eróticos, selvagens, até violentos e sangrentos, hehe. Me enoja o Romantismo, salvo escritores como Victor Hugo e vários ingleses que não se definem bem entre Romantismo, Realismo e Naturalismo, e adoro o Romantismo gótico.

Na verdade, aprecio muito mais prosa do que poesia, de preferência Realismo, quinhentismo/seiscentismo, Modernismo das primeiras décadas do séc. XX, etc. Literatura é a minha grande paixão visceral e leio de tudo, mas tenho minhas escolas e tendências prediletas.

EMPOEMAMENTO disse...

Ela pintou os cabelos para recomessar o mesmo processo...


É sempre assim! A gente gosta é disso...


beijos vermelhos...

Sérgio disse...

Gosto do que você escreve.
Gosto de você.
Gosto de tudo o que você faz.
Gosto das mais loucas coisas que você diz.
Gosto do que escreve,
como escreve,
porque escreve,
pra quem escreve,
quando escreve.
Gosto e fim.

Do pra sempre seu!

Olavo disse...

Neste mês de agosto o blog esta em comemoração
E te convido a partipar durante todo o mês com a gente..
E para começar tem selo comemorativo lá no blog..
Abraço.

Sazabi disse...

Como enche de comentários aqui! x3
Identifiquei-me com o garoto, ao menos queria me identificar; demonstra certa força que eu pareço não ter, decidir e finalizar...

♠J. کchmid♠ disse...

Excelente, uma forma de renascer de algo que já estava a consumir, vc traduziu tudo em um texto excelente, renascer depois de uma experiencia ruim sem dúvida é algo que muitos de nós já enfrentaram, o importante é perseguir a real felicidade, parabéns pelo texto e muito obrigado pelo comentário, adoro seu blog, está devidamente linkado, até breve.
Blog Man in the Box

Mågø Mër£Îm disse...

Eu não sei muito bem o que escrever... acho que vou precisar ler com calma algumas vezes... rs mas num podia deixar de dizer que mesmo com pressa, adorei

Melanie Brown disse...

Momentos assim sao de estrema tortura, ninguém merece o sofrimento do fim de um ralcionamento em que estavamos no mínimo acostumados... Bom mesmo é quando chega o dia de 'cortar e pinar o cabelo'!! rs Gostei tbm daki, muito obrigada pela visita e comentário, volte quando quisser!
BjOooo'

Jorge Leberg disse...

Você prefere que eu responda teus posts aqui ou lá no meu blog? Abração!

Débora Andrade disse...

Às vezes nos habituamos a fazer algo, e o maior erro é quando esse 'algo' é amar. Porque o amor não deve ser visto como um hábito, mas como uma troca, esta que só ocorrerá quando houverem sentimentos em ambos os lados. Às vezes esquecemos que amar não é acomodar-se, calar-se, ou deixar de viver a sua vida para viver a do outro, é apenas compartilhar, não é viver pelo outro e renegar-se.

Ameei meesmo o que você escreveu.
Mais um maravilhoso!

Beeeijos :*

Dulce Meireles disse...

adorei fez m reflectir..:)


Dulce Meireles

La Sorcière disse...

Olá Poetíssima!!!
Gostei muito do seu texto, vc escreve muito bem!!! Melhor: vc escreve de um jeito que permite com que nos identifiquemos!!
Obrigada pela visita ao La Sorcière,
bj

Aмbзr Girℓ ⅞ disse...

lindo. uma reviravolta, o desapego de todo no passado.


Blog Suicide Virgin

Desenhos Digitais disse...

Gostei muito do seu texto.
Me reforçou o pensar de que é preciso saber sempre quando se acaba uma etapa da vida.
Se insistirmos em permanecer nela, depois do tempo necessário, perderemos a alegria e o sentido do resto.
Fechando círculos, fechando portas ou fechando capítulos...o importante é poder fechá-los, deixar ir momentos da vida que se vão enclausurando.
Parabéns!
Helenice

©tossan disse...

Todos aprendemos com aquilo que chamamos de derrotas ou perdas, na verdade são ganhos futuros, hoje por exemplo agradeço a todas as mulheres que me negaram o amor, o motivo está dentro de mim e dela. Belo texto! Beijo

Sentimental ♥ disse...

nos acostumamos muito fácil com algumas coisas e isso faz com q o fim delas seja um drama, mas não precisa ser assim, mudar é preciso e levantar pelo outro lado da cama tmb.
bjs

[obrigada pela visita]

Guilherme Canedo disse...

Valeu pelo comentário no meu blog!
Marcelo Rubens Paiva, é muito bom... já li o Feliz ano Velho, agora estou lendo Blecaute. Rs

Adorei seu texto... A parte dos sapatos... muito boa a comparação!

você escreve muito, adorei te ler!

beijos

╬ Nothing has sense ╬ Felipesfr disse...

muito perfeito!!

"aprender a estudar-se na dor"
eu agoro isso... quase tive um ataque de prazer lendo isso!! heheh

muito bom... não tenho palavras para dizer, tamanha sublimidade de seu texto...
concerteza ela descobriu outro lado.. outras coisas.. novoc modos... uma nova visao..

perfeito..

A Magia da Noite disse...

por vezes mudar é preciso, cortar, pintar a vida de novas cores é solução para apagar os riscos que as paredes da alma ganham com o passar dos anos.

Jorge Leberg disse...

Perguntei isso porque o meu blog oferece mais dinamismo no sistema de comentários, devido às réplicas. Abração!

Mågø Mër£Îm disse...

sabe o que é... rs é estranho pra mim entregar parte do que sinto em um texto... e ao andar pelo mundo ver que num é uma mazela só minha... perdas, desencontros, saudades... ta tudo espalhado por ai... rs

beijos... rs

Poetíssima disse...

Obrigada a todos pelo carinho!
Abraços meus!