22 de jul de 2009

Entre Quatro Paredes

Ele saiu do banho e ela estava na cama.
Ele deitou. Ela tinha tomado banho alguns minutos antes.
Antes dele deitar, ela tirou os lençóis,
que escondiam seu corpo nu.
Ele sorriu. Ela sorriu. Eles se amam.
Ele caiu na cama. Ela fez charme.
E o resto, está entre quatro paredes.

34 reações:

Äмbзr Gïrℓ ⅞ disse...

poxa, isso é maldade né?
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

mas so esse enredo ai já valeu nota dez.

Blog Suicide Virgin

Bittencourt disse...

Olá, sou novíssimo por aqui! Seu blog é o primeiro que comento. achei você no PERDIDAEMDEVANEIOS e acbei entrando para ver o que haiva dentro das 4 paredes de seu blog. GOstei Muito!

Jéssica V. Amâncio disse...

e o resto e o resto??
ai que aflição....rs
na hora de bagunçar a cama é bom né?! quero ver pra arrumar.

tão bom te ler. :]

Shadow disse...

Simples, mas mais do que suficiente para contar uma história inteira...

Alvaro Oliveira disse...

Olá amiga Poetíssima

Lindíssimo! Adivinha-se o resto
vivido entre aquelas quatro paredes. Acredite que adorei o
poema e forma imaginativa do seu
término.

Um beijo

Alvaro

Marcos Pinheiro disse...

Uiiii delícia!

Quer algo mais gostoso do que a mulézinha esperando na cama depois de um banho, toda com cheirinho de "monange"? [risos]

O resto fica entre quatro paredes!

Mélker Rúbio disse...

minha mente eh muito fértil, ja imaginei tudinho, rsrsrsr

Elque santos disse...

Ai, ai...

A.S. disse...

Poetissima,

o resto... fica para se imaginar as mais ousadas fantasias...


Beijos doces!

KOTTA disse...

Passei por acaso e se permite vou comentar. Depois de um banho cheiroso e o mais que estou advinhar, o melhor é ficar no segredo dos deuses e mais nada contar. Bjo

EMPOEMAMENTO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
EMPOEMAMENTO disse...

Ah, já que todos só querem imaginar, coloco eu, as minhas imaginações pra fora...

Bom depois do charminho dela, ele lhe falou alguma coisa no pé do ouvido, como se segredasse, afinal, as paredes, desde os tempos de minha Vó, poder ter ouvidos, não sabemos se olhos, mas ouvidos têm!

Depois de segredar e lamber-lhe a ponta da orelha, mostrando que não apenas ela tinha o poder de deixá-lo excitado, mas ele também poderia dar o "troco", meteu o dedo apressadamente no botão do som e fizeram o que vcs já imaginam ouvindo a canção de Gonzaguinha na voz da Bethânia:

Chega de tentar dissimular e disfarçar e esconder
O que não dá mais pra ocultar e eu não quero mais calar
Já que o brilho desse olhar foi traidor
E entregou o que você tentou conter
O que você não quis desabafar

Chega de temer, chorar, sofrer, sorrir, se dar
E se perder e se achar e tudo aquilo que é viver
Eu quero mais é me abrir e que essa vida entre assim
Como se fosse o sol desvirginando a madrugada
Quero sentir a dor desta manhã

Nascendo, rompendo, rasgando, tomando, meu corpo e então eu
Chorando, sorrindo, sofrendo, adorando, gritando
Feito louca, alucinada e criança
Eu quero o meu amor se derramando
Não dá mais pra segurar, explode coração...


E o resto fica entre quatro paredes...

O certo que paredes podem ter ouvidos, boca não tem, mas se tem uma porta e, o buraco da fechadura... Poetas olham e está tudo acabado...

Beijos vermelhos,

Mi e ChicO!

Virgínia Allan disse...

Veja só... o resto fica por conta da imaginação! Beijos

Guilherme Canedo disse...

Obrigado pelo comentário no meu blog!

A imaginação é o tempero pra uma relação, com ela nos elevamos ou nos destruimos

Eu como você também gosto muito do Samaramago!

beijos

Érica disse...

Com essa introdução eu posso imaginar todo o resto.rsrsrs
Mas preserva sim, é gostoso deixar algo inconfessável, que só exista pra dois, como um outro mundo, que de vez em quando vocês possam visitar... Só vocês.
Beijos querida

Thiago Maia disse...

Viji viji... A melhor parte ficou pra o próximo episódio, rsrs. Senhorita enigmática e sorridente, adooooooro quando passa por lá no meu cantinho, sempre me faz muito bem!!!

E depois trocaremos figurinhas, rsrs. Aquariano é fogo, adoooro isso! E sou tímido sim tá, nem que seja pra fazer aquele charminho básico.

E sabe de uma? Sei que adoro esse mundo blogueiro, conheci muita gente fina, e você é uma das!

BEIJOS

Givanildo disse...

São as principais testemunhas do principal ató de ligação entre um homem e uma mulher.
Existe outras testemunhas, mas nenhuma tão discreta e seguara quanto as quatro paredes.

©tossan disse...

Boa ideia! O mundo faz charme. Beijo

EMPOEMAMENTO disse...

Boa idéia, o mundo faz charme, é ótima!

♠J. کchmid♠ disse...

Sutil e bastante criativo, envolvente também, adorei, disse uma historia com poucas palavras, parabéns adorei!
Blog Man in the Box

Paulo disse...

Entre 4 paredes te leio...

Natália Coelho disse...

Adorei o modo sutil de descrever tal cena, e o que mais gostei foi essa estrofe:

Ele sorriu. Ela sorriu. Eles se amam.

Lindo.

Parabéns, eu não sou boa com poemas, ainda mais com esse tema.

http://www.progestgrow.blogspot.com/

╬ Nothing has sense ╬ Felipesfr disse...

uauuu...

perfeito!
o amor... permeando aquilo que muitos tem como simples ato..

profundo...
como disse, perfeito!

Bia Maia disse...

Ameiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!
Irmãzinha amada!
Vc é DEMAIS!!!!!!!!!!
Vc é muito linda!!!!!!
Quero saber as novidades!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Eu estou muito feliz!!!!
Beijos em sua alma!!
Biazinha

José disse...

feliz do que pode guardar o ato,
triste daquele que não tem a quem flertar, belo.

Anjo vermelho disse...

o.O
AIii Me deixou com a imaginação fertil hehehe

adorei...
eita talento!! s2
Bom fds!!
desculpe ter sumido,é muito serviço..mas tode volta!!

beijos enormes em seu coração

Dona Poesia disse...

Menina! abalou bangu, hein????
Obrigada pelo coment lá no meu canto.
Abração e parabéns!

Fá-rofa Marinho disse...

:OOO

Um conto erótico!

Brincadeira!

Hahaha...

Muito lindo.

É engraçado como não precisamos dizer muitas coisas para entender certas outras coisas.

As entrelinhas!

;)

Márcio Vandré disse...

É interessante o modo como conta a história.
Ela não pára no ponto final.
É possível até imaginar.

Um belo blog aqui.
Retornarei.
Agradeço também o seu comentário.
Um beijo!

Fernanda. disse...

Uma história sem ponto final, isso é maravilhoso. Despertar curiosidade e a imaginação do leitor. :)

Belíssimo! Simples e intenso.
Já gosto de ti, também. E de seu blog. Querrida.

Beijão.

Menino-Homem disse...

quatro paredes
e depois corpos
estão condenados
a viver prazer...

gosto daqui.

beijos,
do menino-homem que começa a crescer...

te espero em mim.

Desenhos Digitais disse...

Obra aberta!
Eu adoro obras abertas. A gente usa a imaginação e dá a elas o final que gostaríamos que tivesse.
Cada um, de acordo com suas expectativas, experiências e anseios...
Nesta ele poderia deitar e reclamar de seus pés gelados, ou simplemente agradecer aos céus por seu lábios quentes.
Na verdade, entre quatro paredes...só sabe mesmo quem lá está.
Voce, com maestria, soube brincar com a imaginação do leitor.
Parabéns!!!

Poetíssima disse...

Fico muito agradecida com o carinho de todos vocês!

Abraços da Poetíssima!

D.Ramírez disse...

Uma poesia curta que envolve e passa sentimentos. Assim vc é em suas palavras. Adorei aqui , voltarei e seja muito bem vinda. A casa lá tbm é sua.
Besos