20 de dez de 2010

Presa #


Ele veio com uma conversa meio boba.. de que não conseguia me prender nos braços dele... de que eu sempre tomava as iniciativas, que não conseguia me dominar na cama. Eu sei que sou meio ansiosa demais...  adoro tomar frente de tudo, mas queria fazer com que ele tivesse um dia de dominador. Logo pela manhã, quando acordamos, tomei banho mais cedo, preparei o café e saí para o trabalho enquanto ele ainda estava no banho. Ele ligou para o meu celular, deve ter ficado intrigado... eu queria que ele sentisse minha falta, que pensasse que eu tinha ficado chateada com a conversa da noite, mas.. eu estava preparando o bote dele.. Trabalhei, e no horário de almoço fui a um sexy shop. Queria comprar algo para nós dois. A tarde se fazia comprida... eu queria muito chegar logo em casa, saí mais cedo, preparei o ambiente... acho muito importante deixar a selva armada... passei um óleo no corpo... tomei um banho, ele é afrodisíaco e esquentava no corpo. Deitei-me na cama e mandei uma mensagem para o celular dele... 'hoje é o dia do caçador'. Prendi meus próprios braços e fiquei na cama a esperá-lo, com uma tamanha ansiedade que me deixou excitada... molhada.. pulsando... a compulsão de sempre tomar iniciativas me corrompia.. no entanto, aquela noite era dele.. eu tinha que esperar. Ele ouviu a música no quarto quando chegou... e foi em direção ao quarto já fazendo perguntas: 'Que mensagem foi aquela..'? Quando me viu... arregalou os olhos e sorriu... respondi: 'Para bom entendedor... meio ditado basta.. vem..'.

20 de nov de 2010

Na água... #

Estava escurecendo e nós dois ainda naquela cachoeira...
Paramos de brincar e começamos a olhar um tanto mais ousadamente um para o outro. As pessoas todas já tinham ido embora... só nós e aquela cachoeira. Até nossos amigos tinham voltado para pousada. Ele chegou bem perto de mim, abriu minhas pernas e se encaixou entre elas. Demonstrando toda sua excitação, me convidando. Eu sorri com o cantinho dos lábios... aceitando o convite. Ele roçou seu corpo no meu, me pedindo que desse-lhe prazer... apertei-o mais perto em meu corpo, passei-lhe as mãos pelo pescoço e começamos a nos beijar intensamente, aquele língua na língua de forma bem ousada... ele apertava meu corpo contra o dele, afastando o biquini, apertando meu bumbum, roçando seu sexo rígido no meu biquini. Eu já estava molhadinha... ele foi buscar minha excitação com os dedos e começou a me provocar. Virei de costas para ele... uma das suas mãos apertavam o biquinho dos meus seios enquanto a outra me tocava fundo.. me deixando mais excitada.. eu roçava meu bumbum nele.. e ele ficava cada vez mais louco.. estava ofegante na água... quando ele meteu com toda volúpia seu corpo rígido no meu... me arrancando um gemido que ele silenciou com um beijo intenso.. ficamos naquela posição, até ele implorar um gozo conjunto.. tocou mais, provocou-me mais, entrou, saiu, chupou, apertou, lambeu, bateu, puxou, virei-me em várias outras posições, até que ele e eu gozamos juntos... deslumbrados.. um gozo bem gostoso e bem molhado... bem intenso .. bem latente... ele ainda deixou-se dentro de mim aproveitando o calor do meu corpo.. sentindo minhas contrações internas o deixarem louco... língua na língua... na cachoeira, iluminados pela luz da lua... #

28 de out de 2010

'quem não dá assistência, abre concorrência e perde a preferência'



Evite ser Traído
Arnaldo Jabor

Para as mulheres, uma verdade! Para os homens, a realidade.


Assim, após um processo 'investigatório' junto a essas 'mulheres modernas' pude constatar o pior.
VOCÊ SERÁ (OU É???) 'corno', ao menos que:
- Nunca deixe uma 'mulher moderna' inseg ura. Antigamente elas choravam. Hoje elas simplesmente traem, sem dó nem piedade.- Não ache que ela tem poderes 'adivinhatórios'. Ela tem de saber da sua boca o quanto você gosta dela. Qualquer dúvida neste sentido poderá levar às conseqüências expostas acima.
- Não ache que é normal sair com os amigos (seja pra beber, pra jogar futebol) mais do que duas vezes por semana, três vezes então, é assinar atestado de 'chifrudo'. As 'mulheres modernas' dificilmente andam implicando com isso, e se implicar uma vez e depois não se importar mais.... atenção!! Aí tem!!! Entretanto, elas são categoricamente 'chei as de amor pra dar' e precisam da 'presença masculina'. Se não for a sua meu amigo.... Bem... com certeza será de outro. Mulheres assim nunca ficam sozinhas! Pelo contrário tem sempre no mínimo 3 na fila.
- Quando disser que vai ligar, ligue, senão o risco dela ligar pra aquele ex é grandessíssimo.
- Satisfaça-a sexualmente. Mas não finja satisfazê-la. As 'mulheres modernas' têm um pique absurdo em relação ao sexo e, principalmente dos 25 aos 45 anos... Bom, nem precisa dizer que se não for com você...- Lhe dê atenção. Mas principalmente faça com que ela perceba isso. Garanhões mau (ou bem) intencionados sempre existem, e estes quando querem são peritos em levar uma mulher às nuvens. Então, leve-a você, afinal, ela é sua ou não é????- Nem pense em provocar 'ciuminhos' vãos. Como pude constatar, mulher insegura é uma máquina colocadora de chifres.- Em hipótese alguma deixe-a desconfiar ou imaginar o fato de você estar olhando para outra. Essa mera suposição da parte delas dá ensejo a um 'chifre' tão estrondoso que quando você acordar, meu amigo, já existirá alguém. ..- Sabe aquele bonitão que você sabe que sairia com a sua mulher a qualquer hora? Bem... de repente a recíproca também pode ser verdadeira. Basta ela, só por um segundo, achar que você merece... Quando você reparar... já foi.- Tente estar menos 'cansado'. A 'mulher moderna' também trabalhou o dia inteiro e, provavelmente, ainda tem fôlego para muita coisa.- Volte a fazer coisas do começo da relação. Se quando começaram a sair trocavam e-mails ou telefonemas, a chance dela gostar disso é muito grande, e a de sentir falta disso então é imensa. A 'mulher moderna' não pode sentir falta dessas coisas... senão...
Bem amigos, aplica-se, finalmente, o tão famoso jargão 'quem não dá assistência, abre concorrência e perde a preferência'. Desse modo, se você está ao lado de uma mulher de quem realmente gosta e tem plena consciência de que, atualmente o mercado não está pra peixe (FALEMOS DE QUALIDADE), pense bem antes de dar alguma dessas 'mancadas'...
Proteja-a, ame-a, e principalmente, faça-a saber disso.
Ela vai pensar milhões de vezes antes de dar bola pra aquele 'bonitão' (ou aqueles bonitões) que vive (vivem) enchendo-a de olhares... e vai continuar, sem dúvidas, olhando só pra você!!!
Quem não se dedica, se complica. Como diz a música:
'MULHER NÃO TRAI, SE VINGA'.

14 de out de 2010

Amiga de trabalho.. #





Já decorei todas as blusas e sutiãs que já vi. Todos os colares que combinam e os outros, tão grandes, que me incomodam. As melhores blusas e as blusas que eu detesto. Os sutiãs coloridos, que aparecem tanto nas blusas claras, os de rendinha, que causam um impacto diferencial na blusa, os mais apertadinhos, os mais folgadinhos, os diferentes, os mais clássicos. Já decorei todos, e quando ela chega busco logo ver meus velhos conhecidos, e quando surgem novos, se me ajudam são bem vindos, se me atrapalham desejo que ela enjoe tão logo. Vem sorrindo me abraçar... meu primeiro e único contato com eles. Tão redondos, tão delicados, tão fartos, tão quentes, tão dela, nunca meus, tão eles, tão par, tão seios... Por vezes vejo os mamilos excitados e me assusto, copio mais, fico nervoso, complicado, quero saber se é frio ou calor, quero saber se estão bem, se me querem, se querem que eu os veja, que eu os toque, que eu os pegue, que eu os morda, que eu os acomode em minhas mãos.. que eu brinque com eles... ah, os mamilos, se minha língua pudesse tocá-los, acalmá-los, excitá-los mais... Uma amiga de trabalho, um par de seios, um tesão, um problema... #
Outubro rosa!
Cuide-se!
(mais informações, clique aqui)

8 de out de 2010

Acordar contigo #


Acordar contigo ao lado é como não acordar,
mas, continuar sonhando...
todo seu corpo me envolvendo...
suas mãos me acariciando,
seus lábios a tocar os meus,
minha pele arrepia com suas palavras,
todas ditas ao tom sensual,
proferidas ao pé do ouvido,
sua voz penetra em meus sentidos,
traz-me a fera que dentro de mim quer devorar-te,
quer lançar-te novamente a cama no amanhecer,
para que possa novamente me tocar,
como o fizeste a noite,
para me fazer gemer, gritar, suar, gozar,
para me usar como sua mulher,
a única, a que te deixa louco,
aquela que você diz que sabe como fazer,
que toma as iniciativas que te arrepiam,
aquela que sabe usar a língua, e lambe-lo lentamente,
aquela que sabe se encaixar com delicadeza,
e, depois, te sucumbir a momentos selvagens,
sentir-te excitado..
tocar seu corpo, tirar sua roupa,
ver-te despido em minha frente,
ansioso para o toque,
para que eu passa minha língua em cada extremidade,
para que eu te masturbe da forma mais intensa,
para que depois devolvas,
abrindo-me as pernas e deliciando-se veemente,
introduza a vida pela minha fenda,
vem... delícia...
faz-me sua mulher, unicamente sua,
coloca-me nas posições que te excitam,
deixe-me dominar-te,
arranque meus gemidos,
goze comigo de prazer...
Acordar contigo ao meu lado,
é como não acordar... é como estar dormindo,
um adormecer ardente... #

6 de out de 2010

Fogo! #


Um casal prevenido não atrai amantes. Era cedo, ele a viu dormindo, aquele era o dia de folga dela. Sorriu, arrumou-se e saiu para trabalhar sem fazer muito barulho para não incomodá-la. Ela trabalhava muito. No caminho do trabalho, passou na rádio uma música deles do tempo de namoro. Ele até conseguiu cantá-la. Lembrou de episódios engraçados e de que fazia tempo que não fazia uma surpresa para ela. Pensou... pensou... lembrou que ainda não tinham feito algo que ela tinha comentado que acharia excitante. Ele riu, imaginou-se naquele papel e prometeu-se que daria providencia de comprar os acessórios na hora do almoço, e, quando chegasse do trabalho, faria uma surpresa.
Ela acordou... lembrou-se dele, olhou para o relógio, era tarde, ele já havia ido... sorriu, por ele ter o cuidado de não acordá-la. Ficou um tempo a pensar nele... hoje era sua folga. Poderia fazer algo diferente. Pensou... pensou... lembrou-se de uma fantasia que eles tinham comentado há um tempo... e que ainda não tinham realizado. Ela sabia que iria deixa-lo excitado. Não hesitou, arrumou-se e foi cuidar de um jantar com uma sobremesa surpresa.
Como disse, um casal prevenido vale por dois. Às vezes, faz bem reconquistar o já conquistado só para ter mais garantia que conquistou ou aumentar o prezo de validade da relação.
Mais ou menos as 17h.. ele não aguentou mais ficar no trabalho, olhava os pacotes que comprou embaixo da mesa com certa excitação. Queria ver a cara dela quando visse ele daquele jeito. 
Em casa, ela ouvia música em volume altíssimo, cantando, preparando a casa como um coito de amor. Cuidou de todos os detalhes, o cardápio, claro: afrodisíaco. Logo, uma mensagem chegou no celular dela: 'Calma, querida, estou chegando para te salvar do fogo'. Ela: Hein?! Ele anda lendo meus pensamentos, é?! Ela sorriu, e mesmo sem entender, vestiu-se logo e  deitou-se no sofá com a lingerie que comprou, bem sensual, como ele gosta, com várias velas dispostas na sala, a esperá-lo. Ele chegou, a casa estava escura, quando entrou pela porta, correu até ela, todo caracterizado de bombeiro. Ela, claro, assustou-se quando o viu... ele ficou olhando em volta, riram juntos, e claro, entraram no clima em fração de segundos... O que aconteceu depois?! Ah... um casal, lingerie... bombeiro... sabe como é que é, né?!

3 de set de 2010

Mulher de poesia... Hilda Hilst #






Árias Pequenas. Para Bandolim


Antes que o mundo acabe, Túlio,

Deita-te e prova
Esse milagre do gosto
Que se fez na minha boca
Enquanto o mundo grita
Belicoso. E ao meu lado
Te fazes árabe, me faço israelita
E nos cobrimos de beijos
E de flores

Antes que o mundo se acabe

Antes que acabe em nós
Nosso desejo.


(Júbilo Memória Noviciado da Paixão(1974) - Árias Pequenas. Para Bandolim - XI) (Poesia: 1959-1979 - São Paulo: Quíron; [Brasília]: INL, 1980.) 

HILDA HILST

21 de ago de 2010

Pelos fundos #


 
Começamos faz pouco tempo, mas ela é curiosa. As altas conversas na cama depois de me deixar sem fôlego me surpreendiam. Ela amava preliminares e eu, adorava. Boca ali e aqui, fomos nos conhecendo cada vez melhor... O corpo dela me seduz desde a hora que ela chega na minha alcova. Ela me devora com o olhar e tem atitudes dominadoras de deixar qualquer homem submisso. Certa vez, durante mais um de nossos tórridos encontros, ela olhou-me sorrateiramente e perguntou-me se eu já tinha tentado outras entradas... no começo eu não entendi, mas refletindo sozinho cheguei as conclusões. Ela estava ansiosa para descobri coisas novas na cama e eu me satisfazia em ser seu experimento. Chegou na minha casa com uma lingerie provocante. Olhou-me nos olhos e nossas palavras foram ocultadas por um longo beijo. Os finais de semana estavam cada vez mais intensos na minha casa depois que conheci essa mulher. Meus amigos diziam que eu estava sumido. Mas, na verdade eu estava me escondendo dentre de um universo feminino, dentro do corpo quente e líquido daquela mulher. Quando comecei a despi-la, como se fosse algo demasiadamente preciso. Vi uma calcinha ousada e engraçada. Tinha escrito: 'Entre sem bater'. Ficava louco com as criatividades daquela que me deixava excitado ao telefone depois de me deixar com o corpo moído. Olhei-a e disse que iria invadi-la como me pediu... e ela, descaradamente, disse: 'Entre pela porta dos fundos'. Fiquei surpreso. Atônito por uns momentos, mas imaginei-me naquela situação gostosa. Não pensei que ela iria tão longe com um pouco relacionamento. Adorei a idéia. Lubrifiquei-a de várias formas. Ela disse que não se importava com a dor, mas com o tesão da descoberta. No começo ela gritou muito, mas eu sabia que depois ela iria gostar, então, continuei. Puxei os cabelos dela de forma suave e apertava todo seu corpo contra mim... Ela quase ficou de pé na cama, e levando-a para o banheiro, em pé, eu intensifiquei os movimentos e as investidas, ela gemia de tesão e ficava mais selvagem. Ela me deu um presente que poucas mulheres dão a um homem. Após o banho merecido, deitados, ela me contava mais de mil fantasias, e, eu, caro amigo, quero satisfazer todas.

11 de ago de 2010

Sorver #



Quero sorver o que há entre tuas pernas,
invadir-te por completo,
deixando teu corpo trêmulo de desejos,
causar-te delírios de tesão,
até que o néctar do seu corpo,
venha a minha boca,
juntar-se a minha saliva,
para matar-me de prazer.

29 de jul de 2010

Repouso... #



Amanhã é sexta e a parte da semana que me cabe como escrava se acaba. E, eu, querido, quero muito o seu colo. Antes de me tornar escrava do teu prazer, quero ter um tempo de descanso ao teu lado. Preciso de um cafuné, uns beijinhos na testa, um carinho no ouvido, aquela coisa de desalinhar meus cabelos com as pontas dos dedos, aquela conversa de como foi o dia e a semana, aquela coisa chamada dengo, que eu não preciso explicar e que você é hábil em entender.


Quero colo.


28 de jul de 2010

Na nuca, ela disse... #



Ela estava de provocação faz um tempo. Estava frio, e ela foi na casa dele, fazer uma pequena e breve visita. Irônico. Ele estava com frio e ela com calor. Que chato. Péssima combinação. Ele não estava muito para conversas. Ela não queria conversar. Ele disse que estava com frio. Ela mandou ele se aquecer. Ele perguntou para ela onde era o lugar mais quente do corpo dela. 'Na nuca, ela disse'. E, ele, obedecendo, foi se aquecer.

Caminhos que se cruzam: Levado: ele.


Ele não sabia se concentrar. Toda hora perguntava alguma coisa. Era um saco. Muito metódico, gostava dos brinquedos organizados e ninguém podia mexer, pois caso acontecesse, ele saberia. Estranho, gostava de estudar e ouvir músicas que não eram da sua idade. Mexia sem querer querendo nas panelas quando chegava da escola e sua mãe bradava: Levado! Menino Levado! Um certo dia, ela também o chamaria assim.

Caminhos que se cruzam: Carinho: dos dois.

23 de jul de 2010

Saindo da rotina #




- Amor, cheguei.
- Que bom querida, cheguei a pouco também.
- Comprei algo que você vai gostar.
- É de comer?
- Coma se quiser. - Ela sorriu. -
Ousada, ele pensou. Tomara que ele curta a idéia, ela repensou. Enquanto ele estava esquentando as panelas, ela tirava um vinho do saco de supermercado. Ele olhou sorrindo.
- Então, é isso?
- Não, seu bobo, deixarei para te mostrar na cama.
Ele riu, ela o olhou e o deu um beijo na boca de leve. Ele a puxou, devolveu o beijo, de forma intensa. Ela sentou na mesa, perto da cozinha, ficou olhando ele de cueca com cheiro de homem tomado banho, que chegou cansado do trabalho, mas que sabe se virar. Ela tirara os sapatos, ele dispôs sobre a mesa algo para ela comer, sentou-se de frente para ela jantando. Ela olhou para ele, besliscando o lanche. Mordeu os lábios ao olhá-lo de cueca, branca, como ela gosta. Ele estava curioso, ficava perguntando, enquanto ela sorria. O som tocava uma música bem provocativa. Foram para a sala. Ele ficou fazendo massagens nos pés dela e conversavam sobre o dia. Ela resolveu tomar banho. Ele foi abrir o vinho, agora gelado, do jeito que ele gosta. Ela chegou com a roupinha de dormir que ele mais gosta. Ele a olhou e estavam os dois excitados.
- Cadê? Quer me matar de curiosidade?
- Vai ter que descobrir bonitão... -Ela ria. -
- Ousada..
- Gostoso!
Eles se adoravam. Começaram a dançar tomando vinho. O clima ficava cada vez mais quente, até que a dança ficou cada vez mais aliciante. Ele a puxava para o quarto. Ela estava adorando as carícias. Ele a jogou na cama e partiu para cima dela. Ela sorriu. Começou a passa algo no braço dele. Ele sentia e sorria.
- O que é?
- Olha..
Ela mostrou a ele o dado que tinha comprado no sex shop...
- Nossa... é por isso que eu adoro essa mulher!
- Brinca comigo?
- Tem como não? Gostosa.
E o resto, eles viveram naquele quarto, até altas horas da madrugada.
Fica a dica.

20 de jul de 2010

Caminhos que se cruzam: Sapeca: ela. #



Nasceu em meio ao mundo colorido de criança. Viveu tudo o que uma criança deveria viver. Seu crescimento foi tão logo. Mas, seu apelido nunca deixou de ser 'Sapeca'. No futuro, ele também a chamaria assim.

Próximo Post: Levado: ele.

16 de jul de 2010

Nossos mundos #


A verdade é uma só: pertencemos a mundos diferentes. Somos diferentes e nunca vamos fazer parte do mesmo mundo. Eu sou uma coisa e você é outra. Não dá nunca para ser igual. Mas, dá pra viver no meu mundo e visitar o seu às vezes, e, quero muito receber visitas suas no meu mundo. O que não dá é pra viver sem você... Mesmo que haja descompasso, mesmo que tudo pareça errado ou perdido. Quando fecho os olhos e me transporto para dentro de mim, é você que me recebe em meus pensamentos. Sempre sabíamos que as coisas não íam ser sempre perfeitas. Mas, sei que isso é mais que possível... se você viver 50% disso.. e eu viver a outra metade... # Me convida para sair? Deixa eu ir pro teu mundo?

14 de jul de 2010

Fases do Homem #

FASES DO HOMEM




Amigo preste atenção


nesse cordel de humor


ele mostra que a vida


de todo homem é um horror


comparado aos animais


o homem é um "faz não faz"


preste atenção, por favor






Quando está com quinze anos


o homem se torna sacana


desenha na palma da mão


a deusa grega Diana


não pode ver um buraco


é a “idade do macaco”


só quer descascar banana






Vai levando a vida assim


amando Diana sozinho


mas quando faz vinte e um


começa a mudar o caminho


não quer mais comer alfafa


é a “idade da girafa”


só pensa em comer brotinho






Aos trinta já está pensando


que de tudo já conhece


só pensa na “perseguida”


quando dorme e amanhece


pula que nem canguru


é a “idade do urubu”


come tudo o que aparece






Mas quando chega aos quarenta


escolhe o que quer comer


está na “idade da águia”


curte mais o seu viver


não liga pra concorrência


faz tudo com paciência


só come o que dá prazer






Com cinqüenta ele começa


por a boca no trombone


se gaba do que já fez


quer provar que é muito homem


olha tudo de soslaio


é a “idade do papagaio”


fala muito e pouco come






Aos sessenta fica doido


quando vê uma calcinha


seu coração dispara


fica a pensar na bundinha


faz logo papel de bobo


se veste na pele de lobo


e vai comer a vovozinha






Aos setenta fica triste


ao lembrar que foi macaco


descascou muita banana


hoje é tatu no buraco


seu “bilau” triste também


virou “gato de armazém”


e dorme em cima do saco






Quando chega aos oitenta


não sabe pra onde ir


passa o dia de pijama


só quer saber de dormir


esquece até o amor


ta na “idade do condor”


dói aqui e dói ali






Depois dessa idade ele fica


esperando a hora chegar


briga com todo mundo


não consegue se abaixar


mija se leva um tombo


vive igualzinho a um pombo


cagando em qualquer lugar






Isso é o que o povo fala


na linguagem popular


mas comigo é diferente


eu não sou de amarelar


to na fase dos cinqüenta


e quando chegar aos oitenta


Viagra de cem vou tomar






© Magno R Almeida





25 de jun de 2010

O melhor momento do poeta #


O melhor momento do poeta é quando tudo é dor.
Quando o chão cai aos pés.
Quando as paredes se fecham.
Quando está com saudade.
Quando está sozinho.
Quando o sangue transborda o pensamento.
Quando a seriedade transpõe o sentimento.
Quando sei que tudo é sofrimento.
Quando nada me faz eu.
Quando sou um outro e vos tomo as dores.
Quando o som toca a alma.
Quando a música é vista além de escutada.
Quando o impossível torna-se palavra.
Quando o amor torna-se secreto.
Quando o homem torna-se mulher.
Quando a mulher torna-se tudo.
Quando surgem flores no inverno.
Quando não é mais primavera.
Quando o vermelho invade o outono.
Quando sangro, quando sofro, quando amo, quando não tenho você...#

23 de jun de 2010

Cála-me #


Cála-me...
da forma mais preciosa,
mordiscando o pé do meu ouvido.
Dizendo palavras para ninguém ouvir.
Dizendo palavras para mim.
Tóca-me as costas,
com as costas das tuas mãos,
arrepia-me o ventre,
amolece-me as pernas,
aturdece-me o peito,
deixa meus mamilos rubros de vontade,
Mamilos que você toca,
que você arrepia,
que você degusta,
que você lambe,
que você morde enquanto lhe aperto a nuca,
enquanto suas mãos tomam a ousadia,
e adentram minhas coxas...
querem as duas tirar toda minha roupa,
querem me devorar,
e me apertam, deixando-me marcada.
Marcada de desejo,
marcada de tesão.
Cála-me com beijos,
e suma embrenhado em minhas pernas.
Faça-me tremer de desejo,
apresente-me tua língua...
quando esguio te vejo,
a desfrutar de tua fruta,
a saborear meu corpo nu,
quero que arranque o meu orgasmo em gemidos,
faça-me escrava do teu prazer...#

Em tela.. #



Pinte-me em sua tela,
sabendo que nela não desnuda meus segredos,
sabendo que nela não tinge meus medos.
Sabendo que tudo que em mim está contido,
não lhe saltará em cores.

Pinte-me ciente...
nada que em mim se faz,
sairá em teus traços.
Nenhum dos teus riscos será suficiente.
Nenhum toque na tela me trará.

Pinte-me sabendo que não estarei nesta tela.
És ela mais uma representação mal feita
de toda a minha imperfeição.

Pinte-me nesta tela,
sabendo que lembrarei dela,
mas nada nesta tela terá minhas lembranças,
nem mesmo conterá nenhuma das minhas recordações,
nem desta nem de outra vida,
nem dos meus amores, nem dos desabores, nas das limitações. #

22 de jun de 2010

Feridas #


Jaz aqui meus poemas para ti.
Jaz aqui toda a minha poesia para ti.
Eu, que tanto lhe escrevi,
que tanto lhe fiz cartas,
hoje só tenho o seu desprezo,
que é mais que indiferença,
mas é menos do que eu queria e mereço.

Jaz aqui os meus sonhos para ti,
toda a minha felicidade iludida,
todas as minhas tardes perdidas,
todo o meu pensar e o meu planejar,
para um ser que não mais me pertence,
quiçá um dia foi meu.

Jaz aqui os meus delírios e os meus desejos,
não os quero mais vos dedicar,
proferir-lhe-ei mais nada.
Quero que os cantos noturnos te aturdeçam,
pois minhas palavras já esmureceram por ti.

Jaz aqui toda minha ternura,
jaz aqui todos os meus beijos,
jaz aqui todo meu amor,
jaz aqui porque assim tu desejas,
jaz aqui, por você, e somente por você,
nessas feridas palavras paridas,
nestas frias palavras malditas,
meu eterno desamor.

20 de jun de 2010

Reencontro #


Essas coisas da vida. Como pude te reencontrar? Homem negro da noite fria... que me abraçava e encantava meus ouvidos com sua voz. Tudo normalmente acontecendo e você entrou naquela sala com ar desavisado. Olhei-te com desejo de saber quem eras, pois sua voz... era o máximo da masculinidade que me atraiu. Conversamos e sabíamos que não podíamos nos largar, por nada. Simplesmente porque tínhamos uma espécie nunca vista de relação, mais que pele, mas que amor, mais paixão, mais que sexo, mais que amizade... era diferente, e assim foi, assim é. Não deciframos nunca o motivo de nossos sorrisos. Não sabemos nunca o motivo de ficarmos arrepiados com o toque das mãos um do outro. Coisas de outra dimensão... Ontem te vi, mas não me viste. Melhor assim, não saberia reagir, estava tão tensa, não saberia me entregar aquele encontro. Eu ri... ri tanto ao te ver, saudades. Quando cheguei em casa, lembrei da música que me cantaste num daqueles encontrões descendo e subindo escadas... 'Boa noite' de Djavan.. 'seu ar de dominador, dizia que ia ser meu dono... e nessa, você dançou..' Quem sabe da próxima?!

29 de abr de 2010

Strip Tease #


Ousadia...
Sim, é isso que eu quero contigo.
Vou te tirar do trabalho mais cedo,
mandar uma mensagem no celular,
te deixar com água na boca...
para em mim você desaguar.
Vou te deixar de joelhos,
se arraste no chão...
Vou te fazer um strip de presente...
tirar cada peça bem devagar.
Ver sua excitação...
seu descontrole,
sua vontade,
seu tesão.
Arranca-me do meu controle,
leva-me no colo para tua cama.
Despe os meus pudores,
arranca da minha garganta os gemidos,
do tesão que você me dá.
Olha nos meus olhos e reclama,
pede mais, pede do jeito que quer...
pede, manda, morde, aperta...
Eu adoro!
Quero ver até onde vai teu desejo...
Quero que me faça arder de prazer...

Vem...


2 de abr de 2010

Resposta a um delírio #



Traga tua língua,

cada vez mais perto...

em minhas pernas,

salivando minha fenda..

feminina fenda,

a qual fazes tremer..

só em chegar em mim,

com suas ardentes palavras,

que me sussurras,

com a voz que nos cabe,

num quarto a sós,

ao pé do ouvido...

23 de mar de 2010

Quero você nela #


Não consigo dormir.
Preciso de você nesta cama.
Ela é muito grande só para mim.
Quero você nela.
Quero você em mim.
Quero você comigo.
Eu estou dormindo como você gosta, nua.
Completamente sem roupa.
Pronta para você me rasgar em bandas.
Adoro quando estou de bruços,
e você vem faceiro,
passa a língua nos meus pés...
sobe pelas minhas pernas,
me deixando tonta de angustiada.
Tonta de tesão.
E, angustiada para que você chegue mais,
mais perto, mais encima, mais dentro.
Abre minhas pernas e se degusta de mim.
Descobre meus gemidos.
Abre todas as entradas,
sem pedir licença, sem precisar pedir.
Aperta-me de forma intensa
e arranca-me para você,
beijando-me a boca, o pescoço e os seios.
Colocando em todas as posições,
possíveis, impossíveis e improvisadas.
Entrando e saindo de mim,
úmida de vontades, de desejo, de saliva,
saliva tua...
Eu adoro sua língua e tudo que ela me faz.
É crueldade a sua não estar nesta cama.
É crueldade você não estar dentro de mim,
nesta noite, agora, neste momento...
O tempo corre...
E eu ainda estou aqui, te esperando,
na nossa cama.

Vem...