2 de nov de 2009

Dá-me os pés?

Nos conhecíamos há pouco tempo e ele nunca tinha me pedido isto. Estávamos conversando num barzinho, namoradinhos apaixonados conversando coisas do cotidiano, com olhares convidativos para outro lugar. Fomos para a minha casa e ele me colocou contra a porta ao fechá-la, nunca o vi com tanta fome. Beijou-me arrancando-me as roupas como se eu fosse lhe fugir em segundos. Deixei-o saciar-se de mim... E ele estava completamente sem pudores... Invadindo minha blusa com suas mãos, arrancando meus seios do sutiã e tocando-lhes, apertando, com vontade... Mordiscava meus lábios como a uma fruta doce da estação... Roçava seu corpo contra o meu, fazendo-me perceber todos os índices de que eu não deveria negá-lo, nem por um segundo. Olhou-me penetrantemente nos olhos como se me pedisse para irmos para o quarto, sem fôlego eu respondi com palavras: 'Devora-me.. ' Ele me carregou nos braços e fomos para o quarto. Olhou-me como a uma presa, com tesão. Tirou a camisa e jogou-se contra mim. Senti seu corpo e notei que ele já tinha me despido por completo. Num súbito.. afastou-se de mim.. arrastou-me na cama e ajoelhou-se próximo a mim.. pensei que ia se embrenhar pelo meio de minha fenda, para desaguar-me em tua boca, mas, olhando-me.. meio tímido, pois era a primeira vez que pedia, sussurrou: 'Dá-me os pés?'. Eu, sem entender, mostrei-lhe um deles... Ele pegou, ergueu próximo ao ombro e começou a passar seus lábios dele... beijáva-os.. passou-lhe a língua, e, confesso a sensação foi indescritível.. a ponto da lembrança não me deixar mais escrever...

20 reações:

Mihage disse...

Daí a expressão:
"Aos seus pés"

ótimo texto
ótima leitura
ótima escritora


sucesso sempre

Daniel Savio disse...

Volupia em todos aspectos e sentidos...

Fique com Deus, menina D'lírios.
Um abraço.

! Marcelo Cândido ! disse...

oh My God
não imaginaria os pés mas entre quatro paredes vale tudo
!!!
do pés a cabeça

caurosa disse...

Olá minha cara Poetíssima, sempre belos e reflexivos poemas,muito bom passar por aqui.

Paz, harmonia e mais inspiração,

Forte abraço

Caurosa

Marcelo Mayer disse...

literalmente dos pés a cabeça

vanessa lopes disse...

uma delícia,né???
uiii uiii

Alvaro Oliveira disse...

Olá amiga

grande Poetíssima!
Ao longo da leitura, espera um fim mais escaldante! Adivinhava-se!
Com que então resolveu ficar pelos pés! rsrs belo fecho!
Parabéns!

Beijinhos

Alvaro

Juliano disse...

Intenso.!

Beijoooooos

Rii disse...

A sua intensidade é sublime.
Cada vez mais voluptuosidade em seu escrever.
As letras te denunciam, ó Poetíssima.

Amo-te.

Thiago Almeida disse...

Perfeito!

Começo sugestivo, final surpreendente.

=D

Givanildo Souza disse...

Se envolvendo de corpo e alma:"dos pés a cabeça".

Abraços! Amiga!

José disse...

Nossa, nossa, nossa. Que intenso, aos mesmo tempo doce e proibido, muito bom mesmo.
*:

Daniel disse...

Gosto da intensidade que escreve em seu blog.
Isso para mim é amor.
Daniel

Iara Rabelo disse...

A o prazer da gula.. devorou-me por completo ao ler...

Ps: estou seguindo..

Isabella F. disse...

Amiga...que D'lirio heim? Me deu vontadede agarrar meu namorado mas ele está trabalhando kkk =p

Obrigada pelo comentário, seus textos são sempre lindos, obrigada! Kisses

Madamefala disse...

Literalmente a teus pés...nada melhor que vivenciar essa sensação.
beijocas.

Mariah disse...

ai que vontade de ser "tragada" assim.

mitro disse...

Nunca experimentei...

Desarranjo Sintético disse...

O amor é sempre poesia!


Abraços!
Fábio.

Lincoln Menezes disse...

Numa palavra: surpreendente